Chuva reticente.

Quando a chuva cai, colorindo o dia de cinza e a noite de vermelho, a cidade parece adormecer. Tudo clama um travesseiro, um sofá, uma cama... Os poetas se revelam - ou se escondem- em suas folhas amareladas e ansiosas por letrinhas... Os ímpares solicitam companhia. As lembranças correm soltas nas mentes nostálgicas. O frio pede o abraço. Os pedaços são soltos pela casa... Um dia assim, Deus me livre!

3 comentários:

luciana disse...

Deus me livre [2]

Luiz disse...

ah, adorei! só queria saber qual é o teu grau de abstração pra escrever essas coisas. E espero que vc não seja uma dessas mentes nostálgicas, kkk!!! vc não é assim!!!

Marcelle Sales disse...

"Os poetas se revelam..." [assobios]
Beeela visão.

Postar um comentário