Calada.

Quanto tempo eu tenho pra gastar com você?
Leio os seus versos e não os entendo.
Buscas algo que ainda não tens?
Tens mesmo um por quê?
Percebo que te contradizes.
Perdão, o que dizes?
És a flor mais bela do teu jardim.
A pedra mais preciosa de tua mina.
A graça concedida a ti mesma.
O que te falta?
A glória?
A fama?
Mordes o fruto já apodrecido só pelo prazer de despertar em alguém a lamúria.
Desprezo teus círculos de luxúria.
Compreenda (ou não se assim decidires).
Perdoe-me a dedicatória já sem razão de ser.
Prefiro o pouco de tudo que sou à metade de você.

1 comentários:

Ana disse...

Minha amiga... Tu não és mais "foda" porque não nascestes em mim =) aheuhaiehiaheiaheihaiehae... Perfeito...perfeito.

Postar um comentário