Fuligem.

Eis que o dia surgiu.
Do meu quarto, eu via o sol invadir a rua.
Senti o calor em minha face transformando aquela palidez matinal num tímido tom rubro.
Deixei que o sol também me invadisse, mas me obriguei a pisar no chão e encarar o MEU dia.
Mais um dia de concreto e fumaça.

Em um dia diferente deste, ficara combinado que eu jamais me deixaria tão indefesa quanto aos meus pensamentos. E assim nasceu o pacto mais incerto que eu já fizera na vida.
Eu, eu mesma, sempre duvidei de mim -  ainda não fizemos nenhum progresso neste aspecto.
Mas estava feito.
Estava certo.

Filas e mais filas de carros congestionavam as vias de mão única.

Eu não esperava lutar contra mim mesma. Não naquele dia. Não depois de ter certeza da minha vontade de não ir a esse campo de batalha.
Não tive escolha.

O sinal fechou.

Meus olhos sempre foram os responsáveis pela minha culpa.
Dessa vez, eles reagiram tardiamente.
Mas outros foram rápidos.
E não tive tempo...

Cá estou, no mesmo lugar, contra mim mesma.

Mais um dia de concreto e fumaça.

1 comentários:

luciana disse...

''E se foi novamente,a minha atenção...'':S

Postar um comentário